3 de outubro de 2012

Pré-diabetes exige mudanças nos hábitos de vida


diabetes é uma doença crônica séria e é considerada silenciosa, já que seus sintomas podem passar despercebidos. São eles: boca seca, sede excessiva, aumento da frequência urinária, principalmente no período noturno, perda de peso (em alguns casos mais intensos), tonturas, borramento visual, infecções de repetição (pele, urina, boca, etc.), corrimento e/ou coceira na região genital das mulheres pelo aumento da predisposição do desenvolvimento de infecções fúngicas (ex.: candidíase).

o que fazer diante da pré-diabetes? De acordo com o endocrinologista Ricardo Amin, é necessário mudar os hábitos de vida: perder peso se estiver com ele acima do normal; melhorar a alimentação, diminuindo a ingestão de carboidratos refinados e de fácil absorção e substituindo-os pelos carboidratos complexos feitos de farinha integral, que são mais ricos em fibras e assim mais difíceis de serem absorvidos; criar o hábito de fazer atividade física regular; procurar auxílio profissional (médico – de preferência endocrinologista –, nutricionista, educador físico, etc.) e fazer exames periódicos com relativa frequência.

Ela pode ser hereditária, mas é mais frequente a diabetes tipo 2, naqueles pacientes que iniciaram a doença em uma fase mais tarde da vida, geralmente acima dos 40 anos, relacionada muitas vezes a maus hábitos de vida, como alimentação excessiva e sedentarismo, gerando excesso de peso. Essas pessoas são consideradas com maior risco de desenvolver a diabetes e, portanto, devem fazer exames de rotina com maior frequência, pelo menos uma vez ao ano.

Veja matéria completa no site da Idmed Portal de Saúde.

4 comentários:

Renato Barreto disse...

Pessoal, vou aqui, procurando ser o mais breve possível, contar meu envolvimento com o assunto em questão.
Muito prazer, meu nome é Renato Barreto e sei bem o que significa ser diagnosticado como pré-diabetes ou mesmo diabetes.
Em 29 de junho deste ano (2012) recebi meu diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2...
Após um exame de sangue de rotina tomei ciência que aquela negligência de ficar 3 anos sem realizar exames de check-up, havia me custado bem caro... Minhas taxas estavam todas (não só a glicose em jejum e a hemoglobina glicada) em limites muito acima do que poderíamos considerar como muito horrível.
Com 48 anos, sedentário, obeso (com exatos 104,2 Kg para uma altura de 1,83 mts) e tudo mais de ruim fui ao cardiologista e ao endocrinologista que me disseram categoricamente que, mediante os resultados dos exames, eu tinha apenas 2 opções: VIVER OU MORRER!!
Convenhamos, na verdade eu só tinha mesmo uma opção: VIVER!!!
Saí do consultório com os medicamentos prescritos mas, acima de tudo, com a enorme recomendação de procurar um nutricionista e voltar a praticar atividades físicas, o que não fazia há mais de 20/25 anos.
Resolvi aceitar isto como um desafio e no dia seguinte já estava na nutricionista que, de forma muito hábil, conseguiu montar uma dieta muito agradável e perfeitamente passível de ser cumprida.
Neste mesmo dia fiz o teste da pisada e comprei um tênis apropriado para caminhada / corrida e iniciei minhas atividades no calçadão de Icaraí (Niterói/RJ).
De início eram 2k caminhando o que fui aumentando, sempre orientado e incentivado por um amigo que há muito pratica running e corre maratonas (Jorge Ricardo).
Logo em seguida comecei a alternar caminhada com os piques de corrida (após já ter perdido alguns quilos para não sacrificar o joelho e articulações) e hoje em dia, 3 meses depois disto tudo estou correndo em média 5 a 6 k / dia e já tive o prazer de participar de duas provas: Circuito Running Brasil - Estácio (em 07 de setembro passado) e a 25ª Corrida do Corpo de Fuzileiros Navais (30 de setembro passado) e já estou inscrito para pelo menos duas outras (12ª Corrida Santos Dumont - 14 de outubro e Corrida Panamericana - 11 de Novembro).
Bem, resultado disso tudo? Simples. Com 30 dias fiz novos exames de sangue e todas, eu disse TODAS as taxas já haviam baixado para níveis classificados como ÓTIMOS, inclusive com excelente controle do diabetes a ponto de sequer ter que ingressar com a administração de insulina.
Em relação a obesidade relatada acima? Bem, nestes 3 meses reduzi bastante meu peso (sem uso de qualquer medicamento é bom frisar) e estou atualmente pesando 89,4 Kg com objetivo de chegar aos 84,0.

Bem, acho que fiz a escolha certa, VIVER, e fico impressionado como muitos ainda não pensam desta forma.
Se eu pude e consegui, mesmo com 48 anos, ex-fumante (havia me esquecido de mencionar embora já tenha 10 anos que parei), sedentário e tudo mais, qualquer pessoa pode conseguir pois, não sou e não me sinto melhor do que ninguém.
Meus especiais agradecimentos ao meu endocrinologista (Dr. Geraldo Brito), meu cardiologista (Dr. Luiz Augusto), minha nutricionista (Drª. Suzi Albertini), meu amigo e "treinador 0800" Jorge Ricardo e as minhas filhas Letícia e Beatriz que foram primordiais na força e incentivo!!!
No mais pessoal, nos encontramos por aí, seja no calçadão de Icaraí, São Francisco ou pelas ruas de Niterói, seja em alguma prova por aí!!!

Cláudia Donelate disse...

Olá,Renato!

Bem vindo ao Blog! E belíssimo depoimento você deixou aqui! Com certeza vc fez a escolha certa, a corrida não é apenas um esporte é uma busca por qualidade de vida e hábitos saudáveis! Temos vários pontos em comum, endocrinologista, nutricionista além da corrida...

Um grande abraço e participe da promoção que será lançada em breve de 01 inscrição para o Circuito Athenas!

Marcus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcus disse...

Excelente artigo sobre diabetes! Parabéns

Zumub Suplementos