10 de julho de 2012

Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro

Aconteceu nesse domingo, 08 de julho, sob muita chuva, vento em grande parte do percurso e frio a Maratona do Rio.


Chegando no Recreio com a MP Assessoria Esportiva
Chegamos ao Recreio dos Bandeirantes por volta das 6:30h com tempo fechado e muito frio... A largada se deu às 7:30h e logo nos primeiros minutos da prova começou uma chuva fina que logo causou longas poças d'água no asfalto. Começamos num pace leve 7'30", Eu, Andreia e Vânia. Percorremos assim  os dez primeiros quilômetros. A chuva e o frio começaram a ficar mais forte na altura da praia da reserva na Barra, mas seguimos bem até a subida do viaduto do Joá, onde meus batimentos chegaram a 185 bpm e resolvi segurar um pouco, mas logo chegou a descida onde deu para dar uma recuperada, ali já perdi o contato com as amigas Andreia e Vânia que impunham um ritmo mais forte a frente. 




Chegando na praia de São Conrado a chuva e o vento forte me assustaram um pouco. As grades de divisão da pista estavam sendo arrastadas pelo vento... Já na Niemeyer o vento começou a me impulsionar cada vez mais para frente e com a pista muito molhada comecei a trotar bem devagar no intuito de não levar um tombo e acabar a maratona ali. Porém, na orla do Leblon me senti mais confiante e voltei a correr um pouco mais moderado e quando percebi já havia chegado em Copacabana no quilômetro 30. Fui apanhada pela emoção e faltava pouco para a realização de mais um sonho... Porém, após percorrer mais dois quilômetros comecei a sentir fortes dores no joelho e resolvi desistir e atravessar a rua em direção a Av. Nossa Sra de Copacabana para apanhar um ônibus até o Aterro e algumas pessoas ao me ver desistindo começaram a me incentivar a voltar dizendo que o mais difícil eu já havia realizado e agora faltava pouco para partir para glória. Resolvi voltar e praticamente arrastando os pés logo avistei o túnel de Botafogo e ao chegar na enseada de Botafogo a alegria me invadiu fazendo com que os meus pés se arrastassem cada vez mais rápido na esperança de chegar...





E que emoção na chegada!!! Lá estavam minha mãe, irmã e sobrinho gritando: "Tia Cacá, cadê você eu vim aqui só prá te vê!" O sorriso estampou meu rosto e busquei as últimas forças para ser conduzida nos últimos metros pelo amigo Carlinhos e ainda ter o meu nome falado ao cruzar a linha de chegada. Valeu grande amigo Carlinhos Martins e a minha família por tamanha alegria!

2 comentários:

Ricardo Hoffmann disse...

E que emoção hein!!! Que bom que ouviu os chamados e voltou! Parabéns!

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
--ooO--(_)--Ooo--
Claudinha que bom que completou mais um desafio parabéns, o tempo para vcs foram perfeito né...rsss...mas para mim eu odiei, não gosto de correr com temperatura assim...hehehe...Não entendi pq vc correu com a mochila de hidratação, ainda mais que tinha em todos os postos águas e gatorade em saquinho, mas valeu....
Bom descanso e boa semana,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com