14 de março de 2011

Pisadas: qual é o seu tipo?

Eu achei muito legal essa matéria escrita por David Homsi  sobre o tipo de pisada e transcrevo em parte aqui no blog.
Não basta só olhar para os pés do corredor. É importante observar joelhos e quadril, em movimento e parado.
É muito importante definir corretamente a maneira como você pisa ao caminhar e correr, é fundamental na escolha do tênis apropriado, evitando lesões e dores posteriores.
Antes de mais nada, é preciso lembrar que teste de pisada não é observar o desgaste da sola do calçado. Isso costuma levar a um diagnóstico errado, do chamado “falso supinador”. É preciso analisar quando e como o calcanhar toca o solo.
Fique atento às características abaixo e, se rolar alguma dúvida, faça um novo teste de pisada, de preferência numa clínica de fisioterapia ou ortopedia.
Pronadores
Pronadores têm a pisada para dentro, apoiando o pé mais internamente. A maioria dos pronadores apresenta joelho valgo, isto é, curvo para dentro. Isso força não só os próprios joelhos, podendo levar à dor e a problemas de menisco, como também o quadril.
Além disso, os casos de pronação costumam ser mais frequentes entre as mulheres, devido à anatomia preparada para a gravidez e o parto. O quadril mais largo acaba forçando os joelhos, que se curvam para dentro. Para manter o equilíbrio do corpo, o ponto de apoio dos pés fica mais interno, provocando a pisada pronada. Isso é conhecido como joelho em X.
Supinadores
A pisada supinada é a mais rara dos três tipos. Acontece quando o ponto de apoio do pé é na região mais externa. Nesse caso, o corredor costuma ter joelhos varos, ou seja, abertos.
Neutros
Os sortudos que têm pisada neutra não apresentam nenhum tipo de desvio ao caminhar ou correr. Os neutros não sofrem nenhum desabamento lateral do calcanhar. O pé toca o solo corretamente e o ponto de apoio é central.
No caso dos neutros, as pressões são equilibradas e suportadas de maneira certa pelos joelhos e quadris.

Lesões mais comuns relacionadas aos tipos de pisada
O supinador deve tomar cuidado extra com o aparecimento de neuromas. Os pronadores, com as dores no quadril ou no menisco. Quem tem pisada neutra tem menor risco de sofrer uma lesão, mas as chances existem.
É importante observar não só a maneira como o corredor se movimenta, mas também características físicas como peso, estrutura da coluna e distribuição da massa. Essas características vão acentuar os desequilíbrios identificados na pisada.
Um bom tênis, apropriado às suas características, pode não corrigir todos os problemas, mas certamente irá controlar boa parte deles, evitando lesões acentuadas. Alongamento e aquecimento antes da atividade física também são recomendados.
Veja aqui um guia das lesões mais comuns nos corredores e a importância de se determinar o tipo de pisada:
  • Pronadores
A maioria sofre de pés chatos, o que aumenta as chances de desenvolverem processos inflamatórios, como tendinites. As mais comuns são do tendão aquíleo, da fáscia plantar e a da patela. Isso porque pés chatos irradiam o impacto da pisada nos músculos, ossos e articulações dos próprios pés e pernas.
Além disso, pronadores costumam rotacionar a tíbia, virando os joelhos para dentro. Esse desarranjo pode provocar dores no menisco e mesmo na região lombar, quando o quadril tenta compensar o desequilíbrio do joelho.
  • Supinadores
Com tendência a terem pés cavos (com a curva interna muito acentuada), supinadores devem se preocupar especialmente com neuromas de Morton, que aparecem quando o impacto da pisada comprime os nervos próximos aos dedos. Fratura por estresse também aparece, principalmente do calcâneo, do segundo metatarso e da tíbia.
  • Neutros
Ok, vocês têm a pisada correta, sem nenhum desequilíbrio nos pés. Mas ainda assim podem desenvolver todas as lesões acima, caso utilizem calçados impróprios ou se esqueçam do bendito alongamento. Fique de olho em desconfortos e dores que insistem por vários dias e consulte um médico se sentir qualquer problema.
É de extrema importância uma avaliação completa para se determinar seu tipo de pé e pisada. Uma boa avaliação postural em conjunto com a baropodometria pode lhe ajudar nestes casos.

David Homsi é fisioterapeuta formado pela Faculdade de Fisioterapia da UNAERP-Ribeirão Preto.

3 comentários:

Alessandro S Silva disse...

se fosse por uma simples avaliação do desgaste de meu tênis, eu seria classificado como supinador, porém com um teste feito no pedígrafo da Mizuno, ficou constatado que sou pronador, o que eu já imaginava considerando a maneira como piso durante as corridas.

Excelente post!

Abs,
Alessandro
http://blog42195.blogspot.com/

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Claudinha muito boa matéria até 2008 eu pensava que minha pisada era supinada de tanto as pessoas falarem que quem gasta a borda do tenis pelo lado externo era supinador, mas depois que eu participei de um treino da Mizuno em 2008 e fiz o teste que deu Neutro eu fiquei mais encucado e não sastifeito fui em outro local e repetir o teste e não é que deu Neutro, veja no link abaixo o meu treino e teste...

http://www.jmaratona.com/2008/04/circuito-de-corridas-mizuno-3-etapa.html

Valeuuuu...bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Cláudia disse...

A maioria das pessoas que fizeram avaliação de pisada simplesmente olhando o desgaste do tênis teve sua avaliação errada, assim como tb foi o meu caso... Por isso, achei o resumo dessa matéria muito legal, principalmente pq muitos corredores ainda continuam avaliando pelo desgaste do tênis.

Obrigado Alessandro e Jorge pelo comentário.

Boa semana e Bons treinos!